23/05/2017

Dieta Low Carb Funciona Mesmo? Descubra Aqui Todos Os Mistérios Sobre a Dieta


Para quem viu o blog da nossa colunista Luma Monteiro, da Minha Nutri, viu que esta semana ela lançou uma matéria falando sobre dieta low carb em parceria com a dra. Fernanda Gandra, da CT Nutrição.

Foi muito interessante descobrir que existem vários tipos de dietas low carb, pois o que a maioria das pessoas pensa é que basta tirar o excesso de carboidrato que já está fazendo a dieta como ela é em sua essência, mas depois de ler todo o texto eu pude entender que tem dieta onde o carboidrato é substituído por proteína ou por lipídios, por exemplo.

 Segundo a dra. Fernanda, “Na dieta low carb, a ingestão diária de carboidratos representa cerca de 20% do total de calorias ingeridas. Existe restrição de carboidratos simples (como açúcar) e complexos (como amido). Já em um plano alimentar convencional o consumo de carboidratos deve ficar entre 45-55% do total de nutrientes ingeridos no dia, representando a base da pirâmide alimentar (composta por pães, massas, cereais, etc)”.

Ou seja, quem pensa em fazer a low carb por conta própria, muito provavelmente vai ter problemas com isso, pois somente um nutricionista capacitado vai poder desenvolver um plano alimentar personalizado para cada tipo de pessoa, buscando suprir suas necessidades.

Exatamente por este motivo que a dra. Fernanda Gandra enfatiza que “Em minha opinião, a redução de carboidratos é saudável quando esta é acompanhada por uma reeducação alimentar e hábitos saudáveis. A dieta low carb tem se mostrado eficaz na perda de gordura corporal e é muito vantajosa tendo em vista o crescente aumento da ingestão de carboidrato. Mas deve ser feita com orientação profissional”.


Curso de Salada e Molhos Funcionais e Sobremesas Saudáveis na CT Nutrição:



Pensando em ajudar as pessoas que estão fazendo a dieta low carb a terem diversas receitas para diversificar o plano alimentar, a CT Nutrição lançará dois cursos Salada e Molhos Funcionais e Sobremesas Saudáveis que serão ministrados pela nutricionista Luma Monteiro, nossa parceira e colunista.

Ambos os cursos iniciarão  no dia 16 de setembro de 2017. As informações sobre matrículas e investimento serão fornecidas em breve no instagram da Minha Nutri (@minhanutri) e do CT Nutrição (@ctnutricaobrasil). Portanto fiquem de olho!



Luma Monteiro é Nutricionista e empresária na Minha Nutri, assessoria em nutrição focada em ações sustentáveis para empresas. Possui graduação em Nutrição e MBA em Gestão da qualidade e Sistemas integrados QSMS.

19/05/2017

As dores e os prazeres de ter gêmeos: uma linda história de amor



Há pessoas que sonham em ter gêmeos durante toda a vida e fazem de tudo para alcançar este objetivo. Hoje em dia é possível realizar tratamentos para engravidar de gêmeos, entretanto, independente da forma como você engravidou, uma coisa é certa: o trabalho é dobrado, mas o amor também!

Por isso mesmo resolvemos falar com a Thaty Lorena, do Blog Mamãe Sem Manual, uma linda mãe de gêmeos, o Pedro e o Benjamin, que resolveu lançar um blog onde ela pudesse relatar toda a sua experiência com os meninos e ainda dar dicas diversas para as mamães que estão passando pela mesma situação.

A Thaty foi uma guerreira durante toda a gestação. De acordo com ela, jamais poderia imaginar que seria mãe de gêmeos, pois tudo aconteceu de uma forma muito espontânea, mas o mais legal de tudo é que a situação se complementou muito para ela e o marido, uma vez que ela só queria engravidar uma única vez e o seu esposo tinha o sonho de ter dois filhos. Portanto, a gravidez de gêmeos foi realmente uma realização para ambos.

A fase de adaptação:


Porém, Thaty não sabia que ainda teria que passar por muitas provações, como se não bastasse ser mamãe de gêmeos e sentir todas as dores e o peso da barriga em dobro, ela também teve que passar pelo sofrimento de ver seus bebês internados assim que nasceram, pois o Pedro engoliu um pouco de líquido amniótico durante a cesariana e o Benjamin precisou fazer uma cirurgia por conta de uma hérnia.

Os geminhos tiveram que ficar no hospital por uma semana a mais que sua mãe e segundo a própria Thaty: "foi muito difícil porque eu entrei no hospital grávida de gêmeos e saí sem nenhum deles. Mas, eu participei de todos os momentos, chegava as 7h e só saia as 23h. E ficava pra lá e pra cá amamentando os dois e  nem sentia as dores do pós parto. Engraçado como é o instinto materno, pois eu só queria saber deles o tempo todo e nem pensava em mim. Somente depois que todos nós voltamos para casa que eu comecei a sentir as dores do esforço que eu fiz", relata.

Por conta de todo este momento complicado das primeiras semanas, Thaty teve sangramentos na cirurgia e foi recomendado pelo seu médico que ela fizesse repouso. A esta altura sua sogra e sua mãe ajudavam no que pudiam, mas tem coisas que só uma mãe pode fazer mesmo, não é verdade?

Sem contar com toda a ajuda que recebeu do marido, pois eles revezavam durante as alimentações dos gêmeos. Enquanto ela dava de mamá para um, seu esposo colocava o outro para arrotar, trocar a fralda e ninava. E assim foi por longos meses.

Período de Depressão:


O marido de Thaty havia tirado férias para ajudar no primeiro mês de uma maneira mais completa, no entanto, quando este período acabou, a blogueira do Mamãe Sem Manual começou a se sentir mais sozinha em casa e passou a ter sintomas de depressão.

"Fiquei deprimida, não sei explicar bem o que houve, pois eu sentia uma felicidade enorme de cuidar dos meus filhos e tê-los em minha vida, mas por outro lado eu me sentia muito sozinha e uma solidão muito grande com todos os hormônios desregulados e tudo mais. Eu dava muito amor para meus filhos, mas sentia uma tristeza que não sabia de onde vinha", acrescenta Thaty Lorena, que amamentou até os 10 meses dos gêmeos.

Felicidade em dobro:



Depois que todo este período de cansaço extremo passou, Thaty pode ter novamente uma regularidade melhor de seu sono e voltar a trabalhar. Afinal de contas, ser mãe já é complicado, imagina ser mãe de gêmeos, não é mesmo?

Thaty considera que o momento mais difícil sobre a maternidade gemelar é esta fase de adaptação dos primeiros meses. "Com o passar do tempo acabamos por nos acostumando e eles vão crescendo também e ficando mais independentes dentro das capacidades normais de cada idade", pontua.

Mas, aposto que assim como a Thaty, as mamães não trocam por nada suas experiências e todo o amor que existe entre os filhos e a mamãe.

Se você quiser conhecer um pouco mais sobre a história da Thaty e ler o blog dela, clique aqui no Mamãe Sem Manual e veja as matérias incríveis que ela está sempre postando. Inspire-se com dicas de decoração para quartos, viagens em família e tudo mais sobre este universo de mamãe e bebê!


Aprenda Como Fazer Seu Batom Durar Muito Mais

Estamos tão acostumadas hoje em dia com nossas maquiagens que sair de casa sem passar pelo menos um batom, mesmo que seja incolor, é uma coisa, digamos impensável para a maioria de nós mulheres.


Mas vamos combinar, que um batom arrebatador pode levantar qualquer figurino!


O fato é que muitas mulheres ainda acabam evitando esse produto, com facilidade, por não ficar retocando depois de tempos em tempos.

Isso é verdade, e foi exatamente pensando nessas mulheres que selecionei algumas dicas bem simples, mas que valem muito, para fazer com que o seu batom dure muito mais tempo na sua boca.


Confira abaixo as Dicas Para Seu Batom Durar Mais

Prepare os seus lábios

Logo que qualquer batom fixa melhor em superfícies lisas, uma ótima dica que ajuda o batom durar bem mais tempo é primeiro limpar os seus lábios com um pano úmido suavemente e, então, aplique um lip balm.

Depois, é só esperar a absorção do produto e remova o excesso com um lenço.

E outra dica, passe um pouco de corretivo na boca antes de aplicar o seu batom, para ajudar, ainda mais, na fixação.

Tenha Um Acabamento Perfeito

Levando em consideração que a maioria dos batons de longa duração possuem um acabamento matte, e já que esse tipo de batom, geralmente, deixa os lábios ressecados e ásperos, uma dica que vai fazer o batom durar mais tempo é apelar para os acabamentos acetinados.

Já que possuem brilho originado dos pigmentos perolados e não pela textura, e no mais, os batons acetinados, como não são tão úmidos como os cremosos, acabam durando muito mais.


Na hora da aplicação

Mais uma super dica é não usar pincel para aplicar o batom, pois a cor fica bem mais intensa se for aplicada direto, sem o uso de pincel.

Porém, para não borrar, uma dica é, depois de aplicar a primeira camada, tirar todo o excesso com um lenço e, depois, aplicar mais uma camada.

Ajude Com Um Lápis

Pois é, outra dica para fazer seu batom durar mais tempo na boca, é preencher os lábios com lápis e só, então, aplicar o batom da mesma cor, só que em camadas.

Para quem não sabe, anote a dica, o lápis de boca é ótimo para ajudar a fixar o batom, pois são feitos para serem mais duros que o batom, fixando melhor e durando mais tempo.

O ideal é passar o batom em camadas, criando um efeito com mais durabilidade e evitando que seus lábios fiquem sem cor.

Recorra para Um pó compacto e Um corretivo

E vamos a mais dicas, pois elas não param por aí, um dos truques para fazer o batom durar muito mais é passar corretivo e pó compacto depois do batom.

E para obter uma maior fixação da cor, depois que passar seu batom, aplique uma camada bem fina de pó compacto nos seus lábios usando um pincel ou esponja.

Contudo, logo após, você deve aplicar uma outra camada de batom. Porém, esse truque não vai funcionar com um pó translúcido ou base em pó!


Texto: Fihama Maria

17/05/2017

Sapato "33" Regra ou Exceção?

O mundo se julga cada vez mais "padronizado", 
mas será mesmo?

Não acho correto dizer que há um padrão para roupas e calçados. Dizer que os números ideais de calças giram em torno de 36 ou 40 e calçados à partir do número 34. Isso é excluir parte da sociedade.

Não somos iguais, portanto não há um padrão ou pelo menos não deveria existir.

Hoje em dia a maior dificuldade é encontrar sapatos da numeração 33. Me pergunto o porquê disso?
Sempre que preciso fazer tal compra já sei que levarei um bom tempo para encontrar. Entro nas lojas já perguntando se trabalham com essa numeração, claro que as respostas são as negativas: "Não, somente à partir do número 34".

Já fazem duas semanas que procuro uma sapatilha e não encontro. A frustração é ainda maior quando o vendedor nos oferece "Dakotinha ou Molequinha", ambas super infantis.

A informação que tenho dos vendedores é que o responsável pela loja investe em apenas um par "33" por modelo, pois a saída não é tão grande como os números padrões.
O que? Como assim? Qual seria o número padrão? Gente, porque não pedem mais quantidade? As empresas da marca não disponibilizam?

Nós mulheres não temos um padrão, muito menos somos regra ou exceção. Não existe isso. Quero ver as mulheres como pessoas normais e especiais, pois é assim que somos. Somos únicas, cada uma com seu jeito e seus desejos.

E sim, eu desejo calçar um Scarpin, uma sapatilha ou qualquer outro sapato que eu queira comprar. Não quero sair das lojas com aquele gosto amargo da frustração, tristeza e o pensamento de ser exceção nesse mundo em que vivo.

Ai Gi, que dramática você é. Não, não sou dramática, pois só quem passa por situações parecidas sabem o quanto nos chateamos em não conseguir o que precisamos ou queremos. 

Com isso, as lojas que saem perdendo, pois público para adquirir o produto existe sim. Usando sapatos pequenos ou grandes não somos nem regra e nem exceção, somos apenas únicas.

Fiz algumas pesquisas em sites e encontrei um específico para essa numeração. O porém é que o mesmo sapato disponibilizado no site está com o preço muito mais elevado do que o das lojas físicas.


#Desabafo