Renda Extra

20/10/2021

Quais as áreas de atuação relacionadas à Agronomia?

 

A Agronomia detém diversas ramificações para diferentes objetivos na agropecuária e nos cuidados com o meio ambiente,
o que torna sua compreensão e prática fundamentais para o futuro

O ato de plantar em solo fértil para conseguir alimento é quase tão antigo como a própria humanidade. Estudos apontam os primeiros indícios de técnicas direcionadas para o cultivo de plantas e a detenção de animais no período Neolítico, entre 7000 a.C. e 2500 a.C.

Egípcios e chineses, há milhares de anos, fortaleceram suas respectivas sociedades, em grande parte, devido à manipulação da terra e dos animais. 

Além de ser um método de sobrevivência, as práticas também mostraram um potencial inigualável em relação à obtenção de renda.

Conforme os séculos se passaram, o conhecimento foi aumentando, assim como as necessidades e desejos das pessoas em relação à produtividade. 

A tecnologia cresceu em níveis massivos, possibilitando a execução de novos meios dentre os costumes primitivos.

Assim, a Agronomia surgiu no século XVIII como a chamada Ciência Agrária, oriunda do interesse de cientistas pela composição dos vegetais. Ao longo do tempo, recursos como compostos químicos e modificações genéticas começaram a ser utilizados na agricultura.

O que é Agronomia?

A Agronomia compila e estuda diferentes maneiras para aperfeiçoar soluções agrícolas e pecuárias. 

O cultivo do solo e todo o processo de produção – desde a preparação das primeiras sementes até a distribuição ao consumidor final – é de responsabilidade dos profissionais do ramo, os agrônomos.

No Brasil, esta área é datada no século XIX, mais especificamente no período pós-escravidão, quando a indústria açucareira, no Nordeste, se viu em crise.

Diante da necessidade de lidar com o setor agrícola, a Escola de Agronomia, do Imperial Instituto Bahiano de Agricultura, foi inaugurada em 1859 para formar profissionais capacitados que pudessem estabelecer a área e fazê-la crescer.

Entre os anos 1960 e 1970, os projetos agrônomos passaram por uma série de alterações durante a Revolução Verde, que sintetizou um grupo de alternativas para expandir a agricultura dos Estados Unidos, Europa e, posteriormente, de países em desenvolvimento.

Hoje, a Agronomia é considerada um ramo riquíssimo em oportunidades e rentabilidade. 

Por conta das reservas de terra, recursos naturais em abundância e solo e clima favoráveis ao plantio e criação de animais, o Brasil é um dos principais exportadores de carnes, grãos e vegetais do mundo.

Além de alimentar a população e produzir outros itens exigidos no dia a dia, o Agronegócio é uma das principais fontes que fazem a economia caminhar. Em 2017, por exemplo, a agropecuária ampliou o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 14,5%.

Áreas de atuação

A multiformidade da Agronomia faz com que existam diversas áreas de atuação dentro do ramo, com funções em empresas especializadas, instituições de ensino, organizações públicas ou privadas de desenvolvimento agrícola, comercialização de alimentos e associações de produtores do setor.

Administração agroindustrial

Assim como em qualquer outra esfera, a administração com enfoque agroindustrial visa os melhores resultados econômicos diante de sua produção.

Agregando valores corporativos, o profissional que trabalha com isso deve se focar em gerenciar a distribuição e venda de produtos agrícolas para a demanda nacional e internacional.

Defesa e vigilância sanitária

Parte da estrutura federal, a defesa e a vigilância sanitária atuam para garantir a saúde da população.

Na Agronomia, o foco é em relação aos alimentos. Os profissionais realizam pesquisas para novas tecnologias que possam combater pragas e prevenir doenças em lavouras e rebanhos.

Fitotecnia

A Fitotecnia é responsável por comandar estudos que apontam as melhores seleções de sementes e adubos para alavancar a produtividade das safras.

É um ramo que trata especificamente dos vegetais, sendo necessário conhecimento amplo em elementos como anatomia das plantas, espaçamento de plantio, tratos culturais, irrigação, adubação, colheita, pós-colheita e armazenamento.

Paisagismo e arborização urbana 

Outra atividade que pode ser exercida pelo engenheiro agrônomo, não raro, em equipe com arquiteto. Ainda mais pelo fato de estar em alta o chamado Paisagismo Ecológico, que procura empregar espécies nativas do domínio botânico original local.

Produção agroindustrial

Gerenciando a industrialização de produtos agrícolas, o profissional do ramo deve compreender as atividades relacionadas à transformação de matérias-primas.

Esta área tem um segmento para cada matéria-prima e depende de sazonalidade, perecibilidade e heterogeneidade para cumprir suas funções.

Silvicultura

A Silvicultura se dedica ao estudo de métodos eficientes (naturais ou artificiais) para regenerar e melhorar os povoamentos florestais.

Esse ramo tem o objetivo de cuidar das áreas naturais através de recuperação de matas exploradas, renovação de espécies em extinção e do auxílio para equilíbrio dos ciclos de nutrientes por meio do reflorestamento.

Para isso, o profissional faz pesquisas botânicas, identifica, caracteriza e prescreve a utilização correta das espécies.

Por isso, são necessários conhecimentos em Engenharia Ambiental e Florestal, Ciências Biológicas, Biossistemas, Biotecnologia e, é claro, em Agronomia.

Existe também uma importantíssima atividade de plantio de florestas econômicas para posterior extração de madeira para construção e móveis, papel e celulose, importante commodity em que o Brasil é produtivo.

Isso porque, enquanto em países frios - que também se dedicam a esta atividade -, as árvores crescem quatro meses por ano, aqui, crescem o ano todo ou boa parte dele.

Zootecnia

O zootecnista é responsável pela produção de produtos e serviços de origem animal, incluindo tópicos de genética, nutrição animal, criação de rebanhos, gestão e planejamento agropecuário e controle de qualidade da mercadoria final.

Esse braço da Agronomia trabalha majoritariamente com bois, aves, cabras, ovelhas, porcos e cavalos, mas os profissionais especializados também podem atuar na preservação de animais silvestres e treinar os bichos para fins de esportes, lazer e companhia.


Outras áreas

Além das especializações já citadas, existem mais alguns setores importantes da Agronomia:

  • Agroecologia: tem o objetivo de desenvolver estratégias para cultivar métodos sustentáveis de agricultura, valorizando a produtividade, qualidade de vida, meio ambiente e comércio justo; não usa fertilizantes químicos e agrotóxicos e se foca em plantações orgânicas;
  • Agrogeologia: analisa as configurações químicas e físicas do solo para a agricultura;
  • Agrometeorologia: compreende as causas e efeitos meteorológicos no cenário rural e na produção agrícola;
  • Agroquímica: responsável pela química destinada à Agronomia, levando em consideração a produção e análise da ação de fertilizantes e pesticidas em relação às culturas agrícolas, aos trabalhadores do setor e aos consumidores;
  • Construções agrárias: envolvem a infraestrutura necessária na fazenda com lagos, silos, depósitos de armazenamento, acondicionamento e embalagem, bem como a logística de escoamento.
  • Irrigação: área de conhecimento que visa o fornecimento de água para o solo de acordo com suas devidas características;
  • Pedologia: estuda a física, química, nutrição e aptidão agrícola do solo;
  • Tecnologia: empregada para monitoramento e gestão da produção agropecuária. Sua expressão máxima hoje é conhecida como Agricultura Digital.

É importante ressaltar que, para atuar em qualquer área, os profissionais devem ser cadastrados no Conselho de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de seus respectivos Estados.

Portanto, a presença da Agronomia na vida de milhões de brasileiros é constante, ainda que em sua maioria de forma indireta. 

Seja possibilitando a alimentação, cuidando de nossos recursos ou compreendendo e zelando pelo meio ambiente, tal ciência se prova essencial desde sua aplicação no País e vital para o futuro do planeta.  





08/10/2021

Moda Mix - tendências de colares 2022

 


O mix ainda estará com tudo no ano que vem. Isso porque a versatilidade e o propósito dessa ideia permite que a criatividade role solta, e é claro que disso ninguém abre mão.

A forma de usar vários colares, pulseiras ou anéis transmite uma personalidade única.

Com foco nos colares, 2022 será o palco para os que tem pendentes, principalmente os acompanhados em mix. Nesse caso o minimalismo vai passar longe. A aposta será a combinação de diversos tamanhos, cores e estilos. 

Inspire-se nas composições e monte o seu look de acordo com a seu perfil, transmita o seu visual, seja ousada sem culpa.







Quer mais dicas de moda? 

Confira em "Colares em camadas – Dicas da Vogue", todos os detalhes dessa tendência que veio pra ficar.




17/09/2021

Quem fez cirurgia de hérnia pode fazer abdominal?

 


A hérnia abdominal é um problema caracterizado por uma protuberância de algum órgão da barriga para fora do corpo. O problema pode surgir em qualquer lugar da região, sendo que as mais frequentes costumam surgir na virilha e umbigo. Os principais tipos de hérnia na barriga são classificados entre:

  • Hérnia inguinal: uma das mais comuns, ocorre na virilha e na maioria dos casos em homens;
  • Hérnia umbilical: ocorre na região da cicatriz umbilical;
  • Hérnia incisional: acomete pessoas que já fizeram algum tipo de cirurgia, e pode surgir a partir desta incisão cirúrgica;
  • Hérnia epigástrica: surge na linha média do abdômen, na região acima do umbigo.

Geralmente, a hérnia abdominal não causa nenhum sintoma, contudo quando eles são destacados podem provocar dor, inchaço e vermelhidão na região onde está localizada a alteração.

Para o seu tratamento, o mais indicado é que seja feita uma cirurgia para recolocar aquela parte do órgão em seu local de origem, fechando os músculos abdominais por onde o órgão extravasou. O procedimento, que pode durar cerca de 1 hora, é bem simples e não necessita de anestesia geral.

Recuperação: quais os principais cuidados após a cirurgia de hérnia?

O pós-operatório da cirurgia de hérnia abdominal é bem rápido, embora possa variar de acordo com a complexidade dos procedimentos. O paciente geralmente não demora mais de duas a três semanas para retornar às suas atividades cotidianas.

No geral, os principais cuidados que precisam ser tomados e adotados pelos pacientes são:

  • Uso de medicamentos analgésicos ou anti-inflamatórios, de acordo com o recomendado e prescrito pelo médico;
  • Repouso na primeira semana após a cirurgia;
  • Não carregar peso;
  • Ingerir alimentos ricos em fibras, para evitar que fique com prisão de ventre;
  • Beber bastante água;
  • Higienizar o curativo com bastante cuidado;
  • Evitar roupas apertadas ou que causem algum tipo de atrito com a região operada.

Como é a rotina de exercícios físicos
após cirurgia de hérnia?

É recomendado que, após a realização da cirurgia de hérnia abdominal, o paciente não realize atividades físicas intensas — principalmente exercícios abdominais e que alonguem ou puxem os músculos abdominais. Este cuidado é necessário por, pelo menos, as duas primeiras semanas após a intervenção.

Os médicos ainda informam que atividades consideradas intensas relacionadas ao trabalho do paciente devem evitadas pelo mesmo período de 2 semanas. Em ambos os casos, o retorno do paciente às atividades deve sempre feito após a autorização médica.

Recomenda-se também que o paciente não tenha relações sexuais nas duas ou três primeiras semanas. O ideal é continuar movimentando o corpo para evitar trombose, mantendo treinos leves de resistência, e voltando à rotina normal após quatro semanas. Contudo, o principal é sempre contar com a ajuda do médico para que ele possa passar as orientações mais adequadas, de modo a evitar complicações e recidivas.

O pós-cirúrgico da hérnia abdominal demanda cuidados especiais e planejados especialmente para cada caso, afinal o corpo precisa estar ativo na medida certa e mais adequada para que o paciente obtenha uma recuperação tranquila e segura.