Renda Extra

06/05/2019

Como Decorar seu Espaço de Trabalho em Casa?

Graças ao avanço e uso de novas tecnologias, o home office ou o trabalho em casa é uma alternativa cada vez mais comum, não só entre os trabalhadores independentes, mas também entre os trabalhadores empregados.

Trabalhar em casa oferece muitas vantagens, como: Economizar tempo em viagens, horário mais flexível que permita conciliar trabalho e vida familiar, diminui as despesas derivadas do uso de transporte público, escritório, etc.

No entanto, este método requer muita disciplina e ordem mental, pois é necessário saber gerir bem o tempo e o espaço para ser altamente eficiente.

Além disso, implica transformar nosso habitat natural em um espaço de trabalho e, para isso, vamos lhe dar uma série de diretrizes simples. Você conseguirá organizar seu espaço de trabalho em casa e transformá-lo em um espaço organizado, confortável e acolhedor.

Você pode usar o Cupom de Desconto Mobly para economizar na compra de itens para o seu espaço.

Dicas para decoração 
do espaço de trabalho 

Crie um espaço confortável 

Ao procurar um lugar na casa para ter um escritório ou local de trabalho, é importante que seja um espaço em que nos sintamos confortáveis e nos permita trabalhar de maneira tranquila sem perder a concentração.

Quando isso não for possível, teremos que instalar nosso local de trabalho em algum canto, como a sala de estar ou próximo a varanda. Nesses casos, é importante fazer desse cantinho um lugar aconchegante, pois nele passamos muitas horas do dia trabalhando.

Procure a luz natural

Se você está trabalhando com um computador ou se vai desenvolver um trabalho manual ou artesanal, a luz natural é essencial.

Portanto, recomendamos a localização da sua mesa de trabalho perto de uma entrada de luz natural; Desta forma, você tornará seu espaço de trabalho mais alegre e também economizará energia e cuidará de seus olhos.

Se não tiver uma entrada de luz natural, coloque vários pontos de luz artificial, tanto a luz geral quanto a luz focalizada na área de trabalho. Ao comprar lâmpadas, escolha luz quente ou neutra, é muito mais aconchegante do que a luz branca.

A ordem, seu melhor aliado

“Uma área de trabalho organizada não só evita acidentes de trabalho desnecessários, 
mas também gera paz e tranquilidade.”

Trabalhe num espaço onde a ordem prevaleça, ajude a melhorar a produção e que o ritmo de trabalho seja o ideal, evitando distrações desnecessárias e perdas de material ou documentação importante.

Além disso, manter sua área de trabalho organizada e limpa, ajudará a tornar a aparência geral da sua casa boa, especialmente se você destinou uma parte da sala ou do quarto para criar esse espaço.

Para manter a ordem, use prateleiras, gavetas ou móveis de armazenamento e tente estar bem integrado na decoração da casa.

Nestes momentos há uma abundância de mobiliário de design versátil que você pode usar para esse propósito, ou também pode optar por soluções mais pessoais e criativas que dão ao seu espaço de trabalho um toque informal com mais personalidade.

Encontre o seu estilo decorativo

Industrial, minimalista, clássico ou rústico, não importa o estilo, mas é apropriado dar uma identidade ao seu espaço de trabalho.

Se você não quiser romper com a decoração do resto de sua casa, a melhor coisa é que continue com o mesmo estilo quando se trata de fornecer e decorar seu espaço de trabalho.

Outra alternativa é mudar o estilo e separar visualmente o espaço do resto da casa. Desta forma, você dará um maior destaque a esse canto da sua casa.

Uma cadeira colorida, plantas, uma lâmpada de design ou grinaldas de luzes, ajudará a dar um toque especial e original ao seu espaço de trabalho.

Decore com elementos que geram memórias positivas

Fotos de família, memórias de uma viagem, uma peça de mobília herdada, uma imagem com uma frase que te inspira, livros relacionados ao seu trabalho, em geral, todas as coisas que lhe trazem bons pensamentos use-as para decorar o seu espaço de trabalho. 

Além de dar vida e personalidade, eles vão preenchê-lo com energia positiva.

Porque não há nada melhor do que começar a trabalhar todos os dias com esperança em um espaço que, além de ser confortável e ordenado, transmite energia e positivismo.

02/05/2019

O primeiro Salto de Paraquedas: Como perder o Medo

Sente um frio na barriga só de pensar na queda livre? Tem medo, mas também tem curiosidade? Esse texto vai te encorajar a colocar seu sonho em prática!

Mesmo que você não seja grande fã de esportes radicais, muito provavelmente já deve ter passado pela sua cabeça uma vontade de pular de paraquedas. Seja para viver algo
que te faça sair da zona de conforto, ou para tirar da lista das coisas que todo mundo precisa fazer na vida, o salto em queda livre gera um misto de medo e fascínio.

A experiência é inexplicável e todos que saltam comentam que é uma das coisas mais marcantes e inesquecíveis que já fizeram na vida. Então, por que não fazer?

Trouxemos aqui todas algumas curiosidades e outras informações necessárias para te fazer deixar as incertezas de lado e se jogar, literalmente!

Quando aconteceu o primeiro 
salto de paraquedas na história?

Já imaginou como deve ter nascido a ideia de se jogar pelos ares pela primeira vez? Bem, a história conta que André-Jacques Garnerin foi o primeiro paraquedista da história, pulando de um balão em Paris, em outubro de 1797.

Porém, o equipamento (ou algo semelhante a ele) é bem mais antigo que isso. Sabe-se que, ainda no século XII, acrobatas chineses promoviam saltos em morros e muralhas usando algo parecido com guarda-chuvas, que auxiliavam no amortecimento para chegar ao solo. Ou seja, não é de hoje que existe essa vontade do ser humano de encontrar maneiras de voar!

Os equipamentos são super seguros, acredite 

Vamos direto ao ponto, sem rodeios. A chance de você morrer pulando de paraquedas é de 1 em 101.083. Esse número vem de um infográfico do site Best Health Degrees, que mostra que o esporte é mais seguro do que voar em asa delta, mergulhar, fazer canoagem, escalar montanha, lutar boxe ou, simplesmente, andar de carro!

Claro que, assim como qualquer esporte mais radical, existem riscos. Mas os equipamentos para o salto estão cada vez mais modernos e seguros. Ainda está com receio? Saiba que, se houver alguma falha na sua abertura, existe um dispositivo chamado AAD (Dispositivo de Acionamento Automático) que, como diz o nome, fará o paraquedas abrir automaticamente.

E, se ainda estiver com a pulga atrás da orelha, lembre-se que mesmo com toda a segurança do AAD, o paraquedista ainda conta com o reserva. Quer mais segurança que isso tudo? Seguindo os protocolos corretamente, não há por que temer!

Mas, afinal de contas, qual é a sensação de estar em queda livre?

Adrenalina pura e sensação de liberdade. Sempre que você conversar com alguém que já saltou, essas palavras aparecerão no discurso. A queda livre acontece em menos de 1 minuto, algo em torno de 30 segundos, mas esse tempo parece ser muito maior quando se está vivendo a experiência.

A certeza é que você esquecerá de todos os seus problemas ou tarefas a fazer, como se tudo desaparecesse. Até mesmo o medo, que toma conta de você nas vésperas do grande dia, vai embora a medida que a sensação de euforia toma conta.

Se for para encontrar um comparativo, podemos dizer que é tipo aquele frio na barriga da descida da montanha russa, porém muito mais intenso!

O que fazer e o que evitar 
antes da aventura 

Por mais difícil que possa parecer, é extremamente importante dormir bem na véspera do pulo. Provavelmente, com a ansiedade a mil por hora, você não consiga pregar o olho, mas se for o caso, medite ou encontre outras maneiras para fazer seu corpo relaxar. Além disso, alimente-se bem e tome um bom café da manhã.

Não consuma bebidas alcoólicas até 24 horas antes do salto. Você precisará ficar atento a todas as instruções para que tudo seja feito em segurança, logo, o seu psicológico precisa estar perfeito. Algumas recomendações também falam em evitar práticas de mergulho na véspera, pois pode afetar o sistema respiratório. Cuide-se bem!

Qual o melhor momento para saltar?

Não há, exatamente, um melhor dia na semana para tal. Mas é importante entender como ficará a condição climática. Em caso de chuva e mau tempo, muito provavelmente você precisará adiar o pulo.

Se o céu estiver limpo, tudo certo! Opte para saltar bem cedo, durante a manhã, pois além de ser um horário com menos pessoas saltando, o visual é fantástico, com a luz do sol no horizonte deixando tudo ainda mais mágico! Ah, e evite ao máximo o horário de almoço: é um período sempre mais cheio, o que pode ocasionar atrasos.

OK! O medo foi embora e 
é hora de se jogar!

Quase óbvio, mas não custa reforçar: no primeiro pulo de paraquedas, o ideal é fazer na modalidade “salto duplo”, também conhecida como tandem, junto de um instrutor, para que aproveite ao máximo a sensação. Você não precisará fazer nenhum tipo de curso nesse caso, é só agendar e ir!

Recomendamos que você busque por uma escola de paraquedismo em São Paulo que seja certificada pela Confederação Brasileira de Paraquedismo (CBPq), pois assim é certeza de que os equipamentos serão seguros e os instrutores, extremamente preparados. Eles passarão todas as instruções, e é só segui-las direitinho que será sucesso!

Não deixe de viver essa experiência! Será um momento único e especial, algo que você passará o resto da vida relembrando e agradecendo a si mesmo pela coragem!

29/04/2019

50 Years Old: o que Mudou em 50 anos nos Casamentos

Para acompanhar a evolução do mundo, as festas de casamento mudaram bastante, mas o amor é o principal motivo da união entre duas pessoas

O casamento ainda é a celebração e a concretização do sonho de muitos casais que desejam eternizar esse marco tão importante da constituição de uma família. Ele está
presente nos quatro cantos do mundo e cada cultura realiza de uma forma diferente.

Em muitos lugares, a tradição sofreu significativas mudanças nos últimos 50 anos. A facilidade em buscar referências por meio da internet acaba fazendo com que as
novidades nunca parem de chegar.

Isso gera um clima de modernização, que está em cada detalhe, dos preparativos até o grande dia. Confira o que mudou nas últimas décadas e quais são as diferenças entre
casamento moderno em relação às cerimônias mais antigas.

As pessoas estão se Casando Mais Velhas

Há 50 anos, o casamento era considerado sinônimo de estabilidade financeira.

Geralmente, pessoas não tinham muita expectativa em formar uma carreira profissional e se casavam cedo. A idade média para oficializar a união era por volta dos
20 anos.

Nos dias de hoje, os casais estão começando a formar uma família por volta dos 30 anos de idade. A grande diferença em relação há alguns anos é que a atual geração dá
prioridade à estabilidade financeira e realização profissional.

Mas não é só isso. Viagens, realizações pessoais e o próprio fato de aproveitar a vida sozinho e sem compromisso são motivos que fazem com que a chegada ao altar seja
adiada.

As festas são Mais Exclusivas 
e têm a Cara do Casal

Era comum, nas décadas de 70 a 90, presenciar festas estrondosas, com grande número de convidados. Muitos deles nem os próprios noivos conheciam. Isso porque a
quantidade de gente era o reflexo do prestígio que os pais do casal tinham.

Um casamento considerado digno de ser especial deveria ter, no mínimo, 500 convidados. Algumas festas chegavam a ter 2 mil pessoas! Hoje, isso é considerado
fora dos padrões, apesar de ter muita gente que goste de festas grandiosas.

Nos dias de hoje, os pais pouco interferem nas tomadas de decisões. Os preparativos ficam por conta do casal, que tem mais liberdade para fazer uma cerimônia cheia de
personalidade e com os convidados que realmente fazem parte de sua vida.

É cada vez mais comum ver cerimônias com até 50 pessoas. Essa onda de que menos é mais deu vez ao mini wedding. Isso vem conquistando cada vez mais espaço por se
tratar de algo mais intimista e com a cara do casal, sem muitas formalidades.


A Regra é Não ter Regras

Nada como fugir dos padrões e estar livre para escolher a celebração sem se preocupar com protocolos. Quase nem se ouve falar em etiqueta de casamento. Nessa
atmosfera, vale tudo, desde a forma como se convida, até a recepção.

Antigamente, tudo era feito dentro de um modelo muito específico e formal. A sensação era de que todas as cerimônias pareciam as mesmas, só mudavam os noivos.

Festas Temáticas

Na era do DIY, o “faça você mesmo”, hoje, é possível e muito mais divertido personalizar todos os detalhes da festa e deixar com a cara do casal. Uma das
vantagens é a redução de custos e a liberdade para colocar a criatividade em jogo.

Um grande exemplo são convites, que podem ser feitos artesanalmente, com fotos e frases que marcaram a vida dos noivos ou criados para serem enviados pelas redes
sociais, sem maiores formalidades.

E não para por aí! O cardápio também sofreu grandes mudanças em relação aos casamentos mais antigos. No século XXI, vale tudo. Existem festas que têm sanduíches
como pratos principais.

Mimos, lembrancinhas, plaquinhas com frases para que as damas de honra carreguem em direção ao altar são marcas registradas de casamentos atuais. Tudo somado a
muita diversão e alegria.

Aquele Som que você Respeita

A balada é o momento mais esperado dos casórios de hoje. Quem acha que casamento rima com hits do momento nem imagina que isso não era comum nas décadas
passadas em que a música, se houvesse, era só ambiente.

Nos dias de hoje, DJs, bandas e baterias de escolas de samba são exemplos dos elementos que são um show a parte. Há ainda quem ama um karaokê e proporciona
um ambiente de muita descontração.

Trajes Descolados

O sonho do vestido de noiva branco e da grinalda quilométrica, apesar de ainda fazer parte do universo de algumas noivas, era característico dos casamentos mais
tradicionais. O mesmo serve para os ternos e gravatas.

Os casamentos mais modernos não se preocupam tanto com esses padrões de cores e formatos. Cada vez mais, cores diversas vêm adentrando ao universo das roupas de
casamento.

Além disso, não há uma regra em relação ao comprimento e uso de calçados e acessórios. Tênis, sandálias, bermudas, camisetas e uma diversidade de peças casuais
compõem o look dos casais modernos.

Casamento por Amor 
Vontade Própria

Não só as festas mudaram. A forma como as pessoas entendem o casamento também mudou. Casamentos antigos eram influenciados pelas famílias e nem sempre
começava pelo amor do casal.

Hoje, o amor é o grande combustível, mas ele nem sempre se sustenta. Com isso, o número de divórcios é bem maior nos dias de hoje, justamente porque ninguém se
sente obrigado a manter um relacionamento só para mostrar para a sociedade.

É muito importante lembrar que não havia casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Nos dias atuais, a paixão entre duas pessoas independe do gênero e muitos casais estão bem mais felizes e sendo quem quiserem ser.

O papel da mulher também mudou. Ela era submissa ao marido e sua única função era ser mãe e cuidar do lar. Sua atual independência combina com um casamento seja
uma relação de parceria em todos os sentidos.

As tendências de casamento moderno são, portanto, o resultado de vários fatores, entre eles, a independência e a liberdade para viver e ser feliz sem perder a essência.


18/04/2019

Tudo que Você precisa saber sobre a Harmonização Facial, a Queridinha do Momento

Tratamento une diferentes procedimentos estéticos e odontológicos para oferecer resultados mais completos.

Os avanços da medicina mostraram que melhores resultados estéticos podem ser alcançados com uma conduta médica multidisciplinar, o que consiste na união de diferentes áreas e técnicas. Uma das expressões dessa proposta é a harmonização facial.

A harmonização facial refere-se ao uso conjunto de procedimentos estéticos cirúrgicos ou não e procedimentos odontológicos, pois parte de uma filosofia de que um aspecto agradável da face depende da estética dos dentes, boca, nariz, tez etc.

A seguir, saiba o que é essa nova conduta estética e quais os benefícios que ela proporciona aos pacientes.

O que é a Harmonização Facial?

A harmonização facial consiste na união de procedimentos estéticos com o objetivo de melhorar a harmonia da face, considerando diferentes estruturas, como os dentes, a boca, o nariz etc. A técnica também é conhecida como harmonização orofacial, pois o tratamento dentário é fundamental para alcançar os resultados.

Ainda é comum que pacientes submetidos a procedimentos estéticos e odontológicos não fiquem satisfeitos com os resultados, pois apesar de tratar as áreas isoladamente, não há uma análise da face em geral, o que fez surgir e crescer a demanda pela harmonização facial.

Dessa forma, quando o cirurgião plástico faz uma avaliação para harmonização ele considera diferentes técnicas que podem ser necessárias conjuntamente para proporcionar o resultado final esperado pelo paciente.

Assim, a harmonização torna-se um procedimento indicado inclusive para pessoas que já realizaram tratamentos localizados, mas que desejam um conjunto mais harmônico na face.

As mudanças podem ser realizadas em diferentes estruturas faciais como dentes, lábios, gengivas e também seguindo demandas estéticas mais comuns, como tratamentos em músculos faciais e linhas de expressão.

Quais os benefícios 
da harmonização facial?

Devido contemplar toda a estrutura da face, a harmonização apresenta como principal benefício a capacidade do tratamento de atender diversas demandas do paciente no que se refere à estética facial.

m geral, a técnica pode ser usada para correção de problemas terapêuticos, como bruxismo e enxaqueca com origem odontológica, e também questões estéticas.

Outras indicações da harmonização são:

  • apertamento dental;
  • correção do sorriso gengival;
  • mais firmeza e aspecto saudável da pele;
  • prevenir fissuras, sulcos e linhas de expressão na face;
  • reposicionar os músculos faciais;
  • preencher regiões para uma face mais consistente;
  • alterar o formato de estruturas que destoem da estética facial.

Portanto, existem diferentes opções e recomendações da harmonização facial de maneira a encontrar resultados mais satisfatórios e personalizados de acordo com o caso.

Quais procedimentos são usados?

A partir da análise da face do paciente, o cirurgião plástico pode optar por diferentes condutas e tratamentos visando um resultado mais satisfatório.

Entre os procedimentos usados estão: aparelhos ortodônticos, clareamento dental, bichectomia, facetas, botox, PRP (Plasma Rico em Plaqueta), fios de sustentação, preenchimento com ácido hialurônico e redução de papada.

A seguir conheça mais alguns dos principais procedimentos usados na harmonização facial e saiba quais resultados podem ser esperados.

Aplicação de Botox

A aplicação de Botox refere-se ao uso de toxina botulínica para corrigir e prevenir o surgimento ou agravamento das linhas de expressão facial. A substância pode ser
usada na estética do sorriso para torná-lo mais delicado e harmonioso com as demais expressões.

A toxina botulínica funciona como um bloqueador neuromuscular fazendo com que a contração muscular seja diminuída ou eliminada na área da aplicação. Além disso, existem usos funcionais, como para auxiliar na mastigação correta.

Preenchimento Facial com Ácido Hialurônico

Outro problema facial comum e que gera muita insatisfação são os sulcos, como o sulco nasogeniano, chamado também de bigode chinês, e que vai desde o canto do nariz até o canto dos lábios.

O preenchimento com ácido hialurônico visa corrigir essa condição e outras relacionadas com a perda de volume. A substância atrai água para a região e faz o preenchimento entre as células, devolvendo o volume na área da aplicação.

Rinomodelação

Entre os procedimentos não-cirúrgicos da harmonização facial está a rinomodelação. Ela permite realizar pequenas modificações na estética do nariz utilizando produtos de preenchimento, como o ácido hialurônico.

Como resultado, o paciente consegue obter mudanças sutis no nariz, adequando a estética nasal à harmonia do restante da face.

Bichectomia

As técnicas de harmonização podem contar também com condutas cirúrgicas para oferecer resultados mais definitivos, principalmente quando existem diversas insatisfações com a face.

A bichectomia consiste em um procedimento no qual é retirado o acúmulo de gordura na região abaixo das bochechas. Além de ser esteticamente recomendado em alguns casos, a técnica também é útil quando o paciente morde frequentemente as bochechas internamente.

Lifting facial

Por fim, outra opção é o lifting facial, também chamado de ritidoplastia. Nesse procedimento cirúrgico ocorre um descolamento das estruturas da face por meio de incisões na linha do couro cabeludo, realizando a remoção dos excessos e reposicionamento das estruturas.

A técnica é indicada principalmente para pacientes com idade mais avançada e nos quais uma intervenção mais profunda é necessária para atender as principais demandas estéticas relacionadas ao envelhecimento.

A harmonização facial deve ser avaliada e realizada por um cirurgião plástico de confiança, pois exige atenção especializada e consiste em um procedimento personalizado, de forma que deve-se avaliar as principais demandas do paciente e a viabilidade de cada técnica que será adotada.