Renda Extra

22/05/2022

Comprar um imóvel ou morar de aluguel?

 


Saiba qual é a melhor opção e como escolher de acordo
com a sua realidade financeira.

De fato, trata-se de uma dúvida que permeia gerações, afinal, é uma decisão complexa, que envolve uma série de fatores que precisam ser analisados individualmente.

Os custos para ambos os casos podem ser altos e devem ser considerados antes de tomar qualquer decisão, afinal, seja qual for a escolha, você vai precisar de um bom planejamento financeiro para colocá-la em prática.

Veja a seguir uma série de informações que podem esclarecer suas dúvidas e ajudá-lo a dar esse passo tão importante da sua vida! 

Quais são as vantagens de comprar um imóvel?

Realizar o sonho da casa própria é, sem dúvidas, um dos maiores desejos dos brasileiros. Ter algo que é seu, além de te dar mais liberdade para deixar o imóvel do jeito que sempre sonhou, é considerado um excelente investimento a longo prazo. 

Isso porque, todo valor pago - seja no financiamento ou no pagamento à vista da propriedade - é revertido apenas para seu usufruto, sem deixar de mencionar a valorização dos imóveis. 

Outro benefício está diretamente relacionado à estabilidade proporcionada por estar vivendo em um lugar que já é seu, sem riscos de ter que sair do imóvel a pedido do proprietário. 

E quais são as desvantagens?

Embora seja vantajoso em muitos aspectos, é preciso mencionar que o valor pago por um imóvel é sempre bem mais expressivo, o que pode acabar complicando sua situação financeira, caso a compra não seja bem planejada. 

Os custos envolvidos - entrada, financiamento, pagamento de evolução de obras (caso compre um imóvel na planta) - devem ser analisados com cautela, pois comprometerão boa parte da sua renda. 

As altas taxas de juros igualmente acabam sendo um impeditivo quando o assunto é comprar um imóvel novo. Isso porque, essas taxas podem acabar triplicando o valor, o que representa uma dívida ainda mais alta em seu nome.

Além disso, deve-se considerar também os valores destinados à reformas, reparos e manutenções, o que no caso do aluguel, por exemplo, já não acontece, uma vez que o locatário deve se responsabilizar por tais demandas. 

Quais são as vantagens de alugar um imóvel?

Em contrapartida, quem opta por alugar um imóvel ao invés de comprar consegue tomar a decisão e dar um primeiro passo para sua independência muito mais rápido do que de outra forma. 

Embora o processo para locar uma residência seja moroso, não se compara ao da compra de um imóvel, se tornando uma opção mais prática e viável a curto prazo. 

A flexibilidade de poder se mudar e encontrar um imóvel que encaixe às suas necessidades também é uma das inúmeras vantagens atribuídas à modalidade. 

Com valores expressivamente menores do que os de um financiamento, optar pelo aluguel te permite se organizar financeiramente e se programar para um investimento futuro, que pode ou não ser realizar o sonho da casa própria.

Os custos relacionados às reformas e manutenções, conforme explicamos acima, são inteiramente do proprietário, de modo que não comprometerão seu orçamento, caso surja algum imprevisto.

E quais as desvantagens de alugar?

A instabilidade de estar em uma propriedade que não é sua, é sem dúvidas, uma das maiores desvantagens associadas ao aluguel de um imóvel. Afinal, você está, de certa forma, à mercê do proprietário. 

Embora exista um contrato previamente estabelecido, o dono do imóvel pode solicitar que o mesmo seja desocupado a qualquer momento, o que não aconteceria se o imóvel fosse seu. 

Limitações para decorar e deixar a casa de acordo com as suas preferências são igualmente vistas como desvantagens, uma vez que não permitem a personalização do lar. 

Como saber qual o melhor para o meu caso?

Se você está em dúvida e ainda não conseguiu decidir o que fazer, confira algumas dicas para tomar a decisão certa de acordo com a sua realidade.

Avalie sua situação financeira

Faça um mapeamento de todas as suas despesas (fixas e variáveis) a fim de identificar o orçamento que você tem. Considere também os investimentos, fundos e poupança para descobrir o que é economicamente melhor para sua situação atual. 

Se você dispõe de uma boa quantia, que servirá de entrada na compra de um imóvel, talvez comprá-lo seja uma boa opção. Contudo, não deixe de avaliar se as parcelas caberão no seu orçamento, sem comprometer as despesas já calculadas. 

Se no planejamento, perceber que a compra ainda não está ao alcance das suas mãos, não se desespere. Como mostramos acima, morar de aluguel tem sim suas vantagens e você pode se ajustar a essa realidade. 

A probabilidade de encontrar um imóvel que seja a sua cara é alta, uma vez que a oferta de imóveis disponíveis para locação é considerável. 

Seja qual for a sua decisão, uma solução que pode te apoiar muito nesse momento é usar um guarda tudo sempre que precisar mudar ou encontrar um novo lar. Isto lhe deixará livre para escolher o tamanho do imóvel e preço que mais cabe  no seu bolso.

Vale lembrar que essa é uma importante decisão na sua vida, que deve ser tomada com cautela e planejamento, para que enfim possa ser feliz no seu novo lar: seja ele alugado ou comprado!





15/04/2022

Colar De Corpo é uma tendência do verão: qual o próximo acessório famoso?

 


O famoso Body Chain também conhecido no Brasil por colar de corpo, foi o acessório dos últimos meses. Muitas famosas que aproveitaram a praia de biquíni em 2022, utilizaram a semijoias para deixar o look de verão mais sofisticado.

A forma com que o acessório ganhou as mulheres começou primeiro com as famosas: Juliana Pinna, Flávia Alessandra, Yasmin Brunet e diversas outras.

Foi incrível como o colar de corpo, que antes era tão simples, conseguiu mudar o look básico do verão de todas as mulheres.

A nossa pergunta agora é: qual será o acessório que irá inovar no outono-inverno?

Leia até o final para saber!

5 acessórios para outono-inverno

Já conseguimos prever algumas opções conforme as tendências atuais de acessórios.

Esse é um pequeno spoiler!

Mas você já pode apostar em qualquer um desses 5 acessórios sem medo!

1# Brincos de cruz

O famoso brinco de cruz já é uma tendência recente, vem ganhando força entre os acessórios. Esse brinco é um charme do look, pois, consegue ser delicado, mas, ao mesmo tempo dará um significado profundo para sua proposta. Afinal a cruz, sempre foi um sinônimo de fé.

2# Acessórios coloridos para o inverno

A paleta do inverno tende a ser mais apagada, a do outono também, por isso, todos os acessórios que trabalham com cores, ou seja, semijoias cravejadas em zircônia serão uma aposta certeira para você arrasar.

3# Chokers de elos grandes

A linda choker de elos, no estilo correntaria ainda não saiu de moda, por isso promete para o segundo trimestre da moda. Inclusive ela bem que poderia ser usada, com seu antigo colar de corpo.




4# Anel dourado feminino

Quando o assunto é anel dourado feminino a dica é procurar por folheados em ouro 18K sempre. Pegue peças que durem, sabemos que no inverno é superelegante utilizar a cor dourada para seu anel. Afinal, é a época que da para se vestir melhor e abusar da sofisticação. Os clássicos anéis dourados femininos cumprem essa função perfeitamente.

5# Colar de pérolas de água doce

O último acessório e talvez seja o mais utilizado no outono-inverno seja o incrível colar de pérolas. As pérolas são um clássico, e você pode utilizar em outras épocas do ano. O brilho único da pérola de água doce, garante todo o charme que você precisa para um look de outono-inverno.

Existem outras opções que poderão substituir o colar de corpo, afinal, ele já saiu de moda. O inverno e o outono chegarão, nossa pergunta é: você vai estar preparada?

Esperamos que tenha gostado dessas dicas!

Abraços



20/12/2021

Descolorir o cabelo faz mal?

 


É comum no meio estético realizar procedimentos químicos para mudar os cabelos,
a descoloração é uma delas, mas existem cuidados que devem ser tomados. Confira!


A proximidade do verão traz o desejo ainda maior do cuidado com a aparência. É neste período que as mulheres mais buscam pelos mais variados procedimentos estéticos disponíveis.

Os cuidados com os cabelos, obviamente, não fogem dessa regra. As mulheres mais apegadas aos cabelos longos reúnem coragem durante o ano todo e ousam em cortes e, consequentemente, em procedimentos capilares mais danosos aos fios.

Um desejo muito comum é o de ficar com os fios claros ou dourados, variando desde tons mais escuros de loiro até o platinado, que combinam perfeitamente com o clima quente do verão.

Entretanto, para que a tonalidade seja atingida com perfeição, é necessário realizar a descoloração dos fios, um procedimento que traz alguns riscos se não forem feitos de maneira adequada.

O que é a descoloração?


A princípio, é importante definir que a descoloração é o processo que retira os pigmentos dos cabelos, alcançando o clareamento desejado aos cabelos. 

Não deve ser confundida com a coloração, também chamada de tintura, que utiliza de um produto químico, a tinta, sendo capaz de inflar e descamar a fibra do cabelo, tornando possível que o pigmento se fixe aos fios.

Como a descoloração é feita e como age no cabelo?


Primeiramente, para entender como a descoloração é feita e como ela age nos cabelos, é preciso entender do que os fios de cabelo são compostos.

Da parte de fora para dentro, as camadas consistem em cutícula, córtex e medula. Na cutícula há 10% da fibra capilar, no córtex, 88% e na medula, somente 2%.

A queratina é a principal proteína que compõe os fios. A ligação que se dá entre as moléculas de queratina define o formato que o cabelo terá. Para mantê-las coesas, é imprescindível que as ligações mencionadas estejam estáveis e fortes.

Na camada da cutícula, a coesão a que nos referimos é o que garante a proteção do interior da fibra contra as possíveis agressões que o cabelo pode sofrer externamente.

Dessa forma, para modificar a estrutura ou a cor dos cabelos, é preciso abrir a cutícula, de forma a expor o córtex. Um dos procedimentos capazes de realizar isso é a descoloração. 

Em regra, o processo de descolorir dos cabelos utiliza dois produtos associados em sua técnica. São eles o pó descolorante e a água oxigenada ou a amônia.

A união destes compostos faz com que as cutículas do cabelo se abram e retire a pigmentação do cabelo. Resumidamente, a descoloração se dá com a oxidação dos pigmentos que estão na fibra capilar.

No geral, os descolorantes apresentam uma volumagem, que nada mais é do que a quantidade de água no pó que é diluído. Quanto maior é a volumagem, mais as escamas se abrem e mais claro o cabelo fica.

Todos os cabelos podem ser descoloridos, independentemente de sua tonalidade. A questão é que, quanto mais escuro os fios forem, é necessário mais produto e com maior volumagem, além de mais tempo de ação e, consequentemente, mais agressão.

Pode ser feita no cabelo todo ou apenas em algumas mechas. Quando a intenção for apenas mechas, o recomendado é que se utilize uma touca com furos ou papel alumínio, para cortar a entrada do oxigênio e possibilitar maior volumagem.


Quais são os riscos envolvidos no procedimento?


Muitas mulheres realizam a descoloração na própria casa, sem levar em conta alguns riscos que o procedimento pode trazer.

A amônia, ainda que utilizada corretamente, agride os cabelos, justamente por alterar toda a estrutura dos fios.

Entre alguns dos riscos estão:

  • Dores de cabeça durante e após o processo da descoloração;
  • Crises alérgicas;
  • Irritação na pele e nos olhos;
  • Queima do couro cabeludo;
  • Tosse, falta de ar e queimação das vias aéreas;
  • Pontas duplas;
  • Falta de brilho;
  • Frizz em excesso;
  • Fios quebradiços;
  • Fios desalinhados;
  • Fios elásticos;
  • Dificuldade para pentear;
  • Queda de cabelo.

Além destes riscos, existe ainda a possibilidade de insatisfação, ainda mais para quem descolore os fios sem auxílio profissional. Isto porque, pela falta de conhecimento e inferioridade na qualidade dos produtos, o resultado obtido pode ser diverso.

Como consequência, pode ocorrer frustração e desânimo, já que os cabelos são uma das principais fontes da autoestima feminina.

Se mesmo com essas ressalvas o seu desejo pelo loiro continuar, confira nossas dicas pré e pós descoloração para não ter problemas e se ver satisfeita com o resultado.


Dicas e cuidados pré descoloração


Antes de realizar a química nos seus fios, é necessário descobrir se eles se encontram em condições de recebê-la, sem que maiores danos sejam causados.

Para isso, é preciso verificar se o cabelo já sofreu algum tipo de procedimento químico anteriormente e quais foram, bem como testar a elasticidade e resistência dos fios, verificando, também, a porosidade.

Podem ser utilizados tratamentos pré-química, como aqueles que utilizam de nanopartículas para reposição de massa e resistência aos fios. Os produtos mais indicados são os ricos em nutrientes e aminoácidos, que preservem a elasticidade.

Outra alternativa é a redução das ferramentas de calor, como secadores, chapinhas e babyliss, pois a alta temperatura que emitem podem danificar a fibra do cabelo, deixando-o mais ressecado e frágil.

Caso você precise utilizar esses equipamentos, invista em um bom protetor térmico que será capaz de amenizar os danos sofridos.

Os cronogramas capilares, que consistem em tratamentos alternados de hidratação, nutrição e reconstrução, também são ótimos para o fortalecimento dos cabelos.

Por fim, não se esqueça de fazer um teste de mecha para estar ciente da reação dos fios e do seu corpo quando submetidos aos produtos químicos.


Dicas e cuidados pós descoloração


Além dos cuidados já tidos antes da descoloração, é importante fazer uma cauterização no cabelo e utilizar produtos específicos, como shampoos matizadores e máscaras de tratamento para pós descoloração.

O tempo de pausa entre um procedimento para o outro também é relevante. Evite no prazo de 15 dias submeter seu cabelo a nova química, como por exemplo o alisamento.

A exposição ao sol, sal e cloro deve ser evitada, pois interferem na duração do procedimento.

Conhecidos os riscos e os cuidados, procure um profissional de sua confiança, que utilize bons produtos e que leve em consideração a sensibilidade do cabelo humano diante deste procedimento.