Renda Extra

20/12/2021

Descolorir o cabelo faz mal?

 


É comum no meio estético realizar procedimentos químicos para mudar os cabelos,
a descoloração é uma delas, mas existem cuidados que devem ser tomados. Confira!


A proximidade do verão traz o desejo ainda maior do cuidado com a aparência. É neste período que as mulheres mais buscam pelos mais variados procedimentos estéticos disponíveis.

Os cuidados com os cabelos, obviamente, não fogem dessa regra. As mulheres mais apegadas aos cabelos longos reúnem coragem durante o ano todo e ousam em cortes e, consequentemente, em procedimentos capilares mais danosos aos fios.

Um desejo muito comum é o de ficar com os fios claros ou dourados, variando desde tons mais escuros de loiro até o platinado, que combinam perfeitamente com o clima quente do verão.

Entretanto, para que a tonalidade seja atingida com perfeição, é necessário realizar a descoloração dos fios, um procedimento que traz alguns riscos se não forem feitos de maneira adequada.

O que é a descoloração?


A princípio, é importante definir que a descoloração é o processo que retira os pigmentos dos cabelos, alcançando o clareamento desejado aos cabelos. 

Não deve ser confundida com a coloração, também chamada de tintura, que utiliza de um produto químico, a tinta, sendo capaz de inflar e descamar a fibra do cabelo, tornando possível que o pigmento se fixe aos fios.

Como a descoloração é feita e como age no cabelo?


Primeiramente, para entender como a descoloração é feita e como ela age nos cabelos, é preciso entender do que os fios de cabelo são compostos.

Da parte de fora para dentro, as camadas consistem em cutícula, córtex e medula. Na cutícula há 10% da fibra capilar, no córtex, 88% e na medula, somente 2%.

A queratina é a principal proteína que compõe os fios. A ligação que se dá entre as moléculas de queratina define o formato que o cabelo terá. Para mantê-las coesas, é imprescindível que as ligações mencionadas estejam estáveis e fortes.

Na camada da cutícula, a coesão a que nos referimos é o que garante a proteção do interior da fibra contra as possíveis agressões que o cabelo pode sofrer externamente.

Dessa forma, para modificar a estrutura ou a cor dos cabelos, é preciso abrir a cutícula, de forma a expor o córtex. Um dos procedimentos capazes de realizar isso é a descoloração. 

Em regra, o processo de descolorir dos cabelos utiliza dois produtos associados em sua técnica. São eles o pó descolorante e a água oxigenada ou a amônia.

A união destes compostos faz com que as cutículas do cabelo se abram e retire a pigmentação do cabelo. Resumidamente, a descoloração se dá com a oxidação dos pigmentos que estão na fibra capilar.

No geral, os descolorantes apresentam uma volumagem, que nada mais é do que a quantidade de água no pó que é diluído. Quanto maior é a volumagem, mais as escamas se abrem e mais claro o cabelo fica.

Todos os cabelos podem ser descoloridos, independentemente de sua tonalidade. A questão é que, quanto mais escuro os fios forem, é necessário mais produto e com maior volumagem, além de mais tempo de ação e, consequentemente, mais agressão.

Pode ser feita no cabelo todo ou apenas em algumas mechas. Quando a intenção for apenas mechas, o recomendado é que se utilize uma touca com furos ou papel alumínio, para cortar a entrada do oxigênio e possibilitar maior volumagem.


Quais são os riscos envolvidos no procedimento?


Muitas mulheres realizam a descoloração na própria casa, sem levar em conta alguns riscos que o procedimento pode trazer.

A amônia, ainda que utilizada corretamente, agride os cabelos, justamente por alterar toda a estrutura dos fios.

Entre alguns dos riscos estão:

  • Dores de cabeça durante e após o processo da descoloração;
  • Crises alérgicas;
  • Irritação na pele e nos olhos;
  • Queima do couro cabeludo;
  • Tosse, falta de ar e queimação das vias aéreas;
  • Pontas duplas;
  • Falta de brilho;
  • Frizz em excesso;
  • Fios quebradiços;
  • Fios desalinhados;
  • Fios elásticos;
  • Dificuldade para pentear;
  • Queda de cabelo.

Além destes riscos, existe ainda a possibilidade de insatisfação, ainda mais para quem descolore os fios sem auxílio profissional. Isto porque, pela falta de conhecimento e inferioridade na qualidade dos produtos, o resultado obtido pode ser diverso.

Como consequência, pode ocorrer frustração e desânimo, já que os cabelos são uma das principais fontes da autoestima feminina.

Se mesmo com essas ressalvas o seu desejo pelo loiro continuar, confira nossas dicas pré e pós descoloração para não ter problemas e se ver satisfeita com o resultado.


Dicas e cuidados pré descoloração


Antes de realizar a química nos seus fios, é necessário descobrir se eles se encontram em condições de recebê-la, sem que maiores danos sejam causados.

Para isso, é preciso verificar se o cabelo já sofreu algum tipo de procedimento químico anteriormente e quais foram, bem como testar a elasticidade e resistência dos fios, verificando, também, a porosidade.

Podem ser utilizados tratamentos pré-química, como aqueles que utilizam de nanopartículas para reposição de massa e resistência aos fios. Os produtos mais indicados são os ricos em nutrientes e aminoácidos, que preservem a elasticidade.

Outra alternativa é a redução das ferramentas de calor, como secadores, chapinhas e babyliss, pois a alta temperatura que emitem podem danificar a fibra do cabelo, deixando-o mais ressecado e frágil.

Caso você precise utilizar esses equipamentos, invista em um bom protetor térmico que será capaz de amenizar os danos sofridos.

Os cronogramas capilares, que consistem em tratamentos alternados de hidratação, nutrição e reconstrução, também são ótimos para o fortalecimento dos cabelos.

Por fim, não se esqueça de fazer um teste de mecha para estar ciente da reação dos fios e do seu corpo quando submetidos aos produtos químicos.


Dicas e cuidados pós descoloração


Além dos cuidados já tidos antes da descoloração, é importante fazer uma cauterização no cabelo e utilizar produtos específicos, como shampoos matizadores e máscaras de tratamento para pós descoloração.

O tempo de pausa entre um procedimento para o outro também é relevante. Evite no prazo de 15 dias submeter seu cabelo a nova química, como por exemplo o alisamento.

A exposição ao sol, sal e cloro deve ser evitada, pois interferem na duração do procedimento.

Conhecidos os riscos e os cuidados, procure um profissional de sua confiança, que utilize bons produtos e que leve em consideração a sensibilidade do cabelo humano diante deste procedimento.











13/12/2021

Receita para uma Segunda-Feira mais Feliz

 


Mande a preguiça embora e transforme
o dia mais chatinho da semana num momento legal!!!


1. Divirta-se


Segunda não é dia de grandes decisões. Vale a pena deixar as tarefas complicadas para o meio da semana e assistir a um filme, uma série ou ler um livro.


2. Permita-se um mimo


Comer seu chocolate favorito ou dançar ao som do artista que você mais ama pode melhorar (e muito) seu dia. E te deixar mais feliz.


3. Escute a sua playlist preferida


Ouvir as músicas de que gosta ajuda na liberação de dopamina, hormônio da felicidade e do bem-estar.


4. Faça algo novo


Mudar a rotina pode te dar mais motivação e fazer com que o dia não pareça tão desanimado. Almoce num lugar diferente, por exemplo. Só pra variar!


5. Planeje algo para curtir a semana


Combine aquele cineminha com sua melhor amiga. Você vai ficar tão animada que nem vai sentir o dia passar.


6. Aceite a segunda-feira


É mais um dia para fazer coisas legais. Fica muito mais fácil lidar quando a gente não coloca tantos pensamentos negativos.


Fonte: Agenda Capricho 2021 (Tilibra)

10/12/2021

Cuide mais de Você

 


6 coisas que você pode fazer por si mesma que vão te fazer se sentir melhor


1. Maratone seus filmes preferidos


Já ouviu falar na expressão "Comfort movie"? Todo mundo tem aquele filme ou série, que melhora o humor após um dia difícil. Comédias são uma boa opção.


2. Encontre suas amigas


Estar na companhia de quem você gosta faz bem. Interagir com outras pessoas e dar risadas são atividades importantes para sua mente e seu corpo.


3. Brinque com animais


O convívio com um bichinho eleva os níveis de serotonina e dopamina, trazendo mais calma e relaxamento.


4. Curta o ar livre


Estudos comprovam que entrar em contato com a natureza e a luz solar ajuda a recuperar a energia mental, reduz o estresse e promove concentração.


5. Pratique exercícios


Exercitar-se não beneficia só o corpo. Essa prática eleva a concentração de serotonina no sangue, que reduz a ansiedade e aumenta a felicidade.


6. Faça seu spa em casa


Hidrate o cabelo, use uma máscara facial e tome um banho relaxante. Melhorar a autoestima é fundamental para cuidar da saúde mental.


Fonte: Agenda Capricho 2021 (Tilibra)