Renda Extra

30/07/2020

Como o médico faz a avaliação do rosto para Harmonização Facial

A harmonização facial através do preenchimento é um dos tratamentos estéticos mais comentados atualmente. Mas como você já deve saber, ela pode envolver um ou mais
procedimentos no rosto, como aumento labial, projeção do queixo ou elevação da ponta do nariz. É por isso que a avaliação médica é tão importante, sendo assim a primeira etapa da harmonização facial.

Como é a avaliação médica

A avaliação acontece durante a consulta médica. O profissional ouve as queixas do paciente e depois faz uma análise global do seu rosto. Essa primeira conversa é importante para adequar expectativas e realidade, pois é fundamental que o paciente entenda que a harmonização não é sinônimo de embelezamento facial.

O objetivo do tratamento é chegar a um equilíbrio das proporções do rosto e para o isso o médico vai propor realçar algumas características, disfarçar outras, mas sempre respeitando as linhas naturais do paciente. Para isso, são usados princípios matemáticos como a Máscara Phi e a cefalometria como guias para uma avaliação individualizada e com o máximo de embasamento científico.


Quais critérios são utilizados

Obviamente, quem deseja fazer harmonização facial quer se olhar no espelho se sentir melhor com a sua aparência. Mas quem define o que é belo? A beleza é um conceito relativo, que pode variar conforme a percepção pessoal, cultural, temporal e até geográfica.

Porém, áreas como a medicina, a arte e a arquitetura foram buscar na natureza uma constante matemática Chamada de rácio dourado. Seu valor do coeficiente de 1,618 (ou o inverso 0,628), e pode ser encontrado em plantas e caracóis, em nossa dentição, no tamanho dos ossos da mão, entre outros.

Naturalmente, por estar muito presente em nosso campo visual, essa proporção é, de certo modo, agradável aos olhos. Pensando nisso e aplicando na medicina estética, o cirurgião norte-americano Stephen R. Marquardt usou o princípio da proporção áurea para desenvolver a Máscara Phi. Deste modo, usando a Máscara Phi referência matemática de harmonização facial, o médico é capaz de definir, medir e ajudar a desenvolver as proporções ideais do rosto.

Outro recurso utilizado em consultório é cefalometria. Essa é uma técnica que vem da odontologia e serve como referência para calcular as dimensões das estruturas do crânio e da face. O cálculo inclui medidas angulares e lineares que vão definir o contorno facial. A cefalometria auxilia o médico a identificar pontos de apoio para planejar e realizar um tratamento personalizado.

Qual a importância da avaliação

O principal objetivo da avaliação médica na harmonização facial é ter um tratamento personalizado. Assim é possível produzir efeitos mais previsíveis e menos variáveis
com o preenchimento. Em alguns casos, o médico pode indicar uma associação de técnicas para que o resultado seja mais satisfatório, como aplicação de Laser Co2 Fracionado e toxina botulínica.

A consulta também é o momento ideal para o paciente ficar atendo a fatores de segurança. É importante certificar-se de que o profissional é um médico com registro válido no conselho de medicina do Estado, que utiliza produtos aprovados pela Anvisa e que o procedimento será realizado em local com alvará da vigilância sanitária.


Nenhum comentário:

Postar um comentário