Renda Extra

09/11/2020

Oncogenética: entenda o Exame de Rastreamento

 
A oncogenética é uma especialidade da Medicina que une os conhecimentos da Genética e da Oncologia com o objetivo de mapear precocemente mutações hereditárias e orientar, preventivamente, pacientes com predisposição ao desenvolvimento de câncer.

Dentro do escopo de atuação da oncogenética está o exame de rastreamento, também chamado de mapeamento genético, que oferece informações valiosas sobre as predisposições hereditárias do paciente. Saiba mais a seguir!

O que é o mapeamento genético na Oncogenética?

Na oncogenética, o mapeamento genético é o principal exame que fornece informações ao especialista. O intuito é viabilizar uma intervenção precoce para reduzir as chances de desenvolver o câncer ou permitir que a doença seja identificada precocemente para, assim, garantir maiores chances de sucesso do tratamento oncológico.

No mapeamento genético, é feita a análise da sequência do DNA do paciente — que é obtido por meio de uma amostra de sangue ou saliva. A partir desse exame é possível verificar a presença de mutações patogênicas que aumentam as chances de o paciente desenvolver câncer hereditário, como de mama, próstata, tireoide, estômago e outros.

Por meio da oncogenética, tornou-se possível individualizar o tratamento oncológico, aumentando o sucesso das medidas preventivas e permitindo um diagnóstico precoce das neoplasias. Esses cuidados influenciam diretamente nas chances de cura e a intensidade do tratamento, podendo evitar, por exemplo, a necessidade da quimioterapia.

O que é avaliado no exame de rastreamento?

O exame de rastreamento genético avalia o sequenciamento do DNA. Resumidamente, o DNA é um composto orgânico formado pelas moléculas adenina, timina, citosina e guanina. Todas as pessoas têm duas fitas sequenciais, uma herdada do pai e outra da mãe.

No mapeamento genético, essas sequências são analisadas para determinar se existe alguma mutação que torna o paciente mais predisposto ao desenvolvimento de câncer. Tanto o sangue quanto a saliva carregam o material genético do indivíduo, podendo ser usados no teste.

Quando o exame genético é solicitado?

Apesar de o exame de rastreamento oferecer informações valiosas sobre a saúde do paciente, ele só é solicitado em casos específicos como:

  • Histórico familiar, seja do lado materno ou paterno, favorável ao desenvolvimento de neoplasias, principalmente em familiares de 1º grau de parentesco;
  • Histórico médico do paciente, que pode revelar indícios de determinadas síndromes hereditárias.
Destaca-se que, apesar de o mapeamento genético ser muito demandado na área oncológica, outros tipos de patologias hereditárias também podem ser identificados no exame.

A indicação do exame de rastreamento sempre será feita pelo especialista após avaliação individualizada do paciente e ponderações quanto aos benefícios, riscos e limitações do teste.

Qual a importância da Oncogenética?

O oncogenética trouxe um novo conhecimento à Medicina, ajudando no entendimento sobre os genes e sua influência no desenvolvimento de neoplasias, o que resultou em mais informações  sobre as patologias e possibilidades de tratamentos inovadores e com maiores chances de  sucesso.

No que diz respeito à área oncológica, estima-se que entre 10% e 15% dos tumores possam ser diagnosticados ou evitados por meio da avaliação do contexto de predisposição hereditária.

Dessa forma, tais pacientes poderiam adotar novos hábitos para reduzir as chances de desenvolver câncer e ter um diagnóstico precoce em decorrência do acompanhamento médico regular.

Em ambos os casos, a oncogenética e o exame de rastreamento são importantes aliados na promoção de uma melhor qualidade de vida do paciente por meio da prevenção de doenças e também tratamentos menos invasivos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário