Renda Extra

01/06/2019

Do Luxo à Mercadoria: o Consumo de Cosméticos e Perfumes

Perfumes fazem parte da nossa história e contam muito sobre quem somos. 
Quer saber mais sobre o mundo das fragrâncias?

Sentir um cheiro e, automaticamente, ser levado para um momento, como numa máquina do tempo: quem nunca passou por isso? Desde muito tempo, o perfume é um item valioso
na nossa história, diz muito sobre quem somos e quais nossas atitudes.

Escolher uma fragrância é tão pessoal e importante quanto definir a roupa do dia. Aliás, as duas coisas estão diretamente relacionadas. Mas quando será que tudo isso teve início?

E como um cheiro pode estar diretamente ligado à personalidade? Vem que nesse texto a gente te conta tudo!

Os primeiros perfumes: como tudo começou...

A história dos perfumes começou como um instrumento e conexão com o sagrado: nos tempos mais antigos, as pessoas queimavam diferentes tipos de ervas, que geravam uma fumaça de aroma agradável. Com isso acreditava-se que esse preparado aromático seria uma oferenda aos deuses. O próprio nome já evidencia isso, já que a palavra vem do latim
“per fumum”, que significa “através da fumaça”.

Depois de alguns anos, no Egito, veio a necessidade de deixar o corpo e os objetos com “cheirinho bom” e, aos poucos, as essências começaram a se tornar artigos de luxo. Com
isso, fragrâncias foram usadas para banhos aromáticos, pomadas e para uso de faraós e da realeza.

Cleópatra, a última rainha do Egito, foi quem ajudou a fazer do perfume uma arte, já que era conhecida por sua maneira de se perfumar, banhar-se com óleos aromáticos e conquistar pessoas através disso, o que inspirou mais e mais mulheres para que utilizassem diferentes essências para deixar marcas.

O primeiro perfume feito com solução alcoólica foi feito para a rainha da Hungria no fim do século XIV. Conhecida como a água da Rainha da Hungria, a fragrância foi a mais popular por muito anos na Europa, perdendo o posto só no século XVIII para a água de Colônia.

Tipos de Perfume

Desde as primeiras essências feitas de ervas até os dias de hoje, muitos tipos diferentes de perfumaria surgiram. Já ouviu falar em famílias olfativas? É a maneira de descrever cada tipo de fragrância, separando-as em grupos. Conheça as principais:

1. Frutais

Como o próprio nome diz, os frutais possuem essências de frutas, como pêssego, cereja, frutas vermelhas, entre outros. O aroma dá a sensação de jovialidade, alegria e descontração.

2. Cítricas

Apesar de serem frutas, essa família tem um grupo só para ela. Os perfumes cítricos, como os de essência de limão, lima e tangerina são bastante populares e provocam frescor e leveza.

3. Adocicados (ou Orientais)

Sensuais e atraentes, os perfumes mais doces possuem fixação longa e são tipicamente femininos. Exemplos dessa família são os de baunilha, âmbar e almíscar.

4. Florais

Com grande variedade de estilos, a família floral é a mais conhecida de todas, que é feita à base de flores, como rosa, jasmim e gardênias. Mais da metade das fragrâncias femininas são florais, apesar de existir algumas masculinas, como a de cravo.

5. Herbais

As herbais são majoritariamente fragrâncias masculinas, e remetem a cheiros da natureza, força e refrescância. São aromas baseados em folhas, como lavanda e alecrim.

6. Amadeirados

O cheiro amadeirado é bastante específico e fácil de reconhecer, pois sua fragrância remete a madeiras naturais, como o sândalo e o cedro! Traz sofisticação e mistério e uma sensação de aconchego e calor.

A relação entre o Perfume e a Personalidade

Seguindo as características vistas sobre cada tipo de família olfativa, dá para se ter ideia do quanto os aromas dos perfumes estão ligado a diferentes personalidades. Ou, ao menos, à representação das mensagens que nosso corpo quer transmitir!

As pessoas que gostam de fragrâncias doces, por exemplo, costumam ser mais românticas, ou gostam de passar a sensação de sensualidade e elegância. Já quem opta pelas notas mais cítricas tendem a ser mais enérgicas, sociáveis, ativas e descontraídas. Tons amadeirados denotam confiança, persistência e força.

Claro que não há uma regra, mas vale buscar mais informações sobre qual o tipo de fragrância é a ideal para seu momento de vida. Isso pode influenciar no seu dia a dia e fortalecer seus pontos positivos!

O Perfume na história da Moda e do Cinema

A moda e a perfumaria nem sempre estiveram interligadas, mas desde que essa ligação aconteceu, nunca mais foi possível desvinculá-las! Tudo começou em 1910, quando o estilista Paul Poiret criou sua linha de perfumes, sendo a primeira pessoa do mundo das passarelas a fazer essa conexão.

Nos anos 20 veio Gabrielle Chanel, mais uma estilista que decidiu lançar um perfume que representasse a sua geração: uma década de luxos e extravagâncias, exatamente como a
fragrância do icônico Chanel nº 5.

Foi nos anos 50 que essa ligação se consolidou, com o boom das estrelas de Hollywood ditando regras e influenciando o público com sua maneira de vestir e de se sentir bem.
Marilyn Monroe virou garota-propaganda do Chanel nº 5 nessa época, causando um grande frenesí, já que os fãs de cinema costumavam agir de acordo com tudo o que ela dizia ou falava!

A década de 80 foi marcada por uma moda mais exagerada e provocativa, assim como os perfumes mais queridos dessa época. E, nos dias atuais, buscam-se soluções mais conscientes e acessíveis na moda, estando lado a lado com as fragrâncias, que se voltam ao minimalismo, onde o luxo não é algo tão importante.


E agora, já sabe quais são suas fragrâncias favoritas? E quanto às marcas, você prefere os perfumes importados ou gosta de seguir uma linha mais natural, com matéria-prima local?
Compartilhe com a gente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário