Renda Extra

19/05/2020

Cirurgias Reparadoras: Quando são Indicadas?

Com o objetivo de corrigir deformidades de nascença ou que foram adquiridas ao longo do tempo, as cirurgias reparadoras visam recuperar as funções do organismo para que ele trabalhe da maneira mais normal possível. Embora sejam classificadas com cirurgias plásticas, estes não são procedimentos de cunho estético.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) estima que pelo menos 40% de todas as plásticas realizadas no Brasil sejam caracterizadas como cirurgias reparadoras. O intuito é recuperar a forma e a capacidade funcional de uma região do corpo.

Quando são indicadas as 
cirurgias reparadoras?

As cirurgias reparadoras são indicadas para pacientes que apresentam algum déficit funcional causado pela ocorrência de doenças, acidentes, problemas de desenvolvimento e até mesmo casos de violência.

Isso significa que esses são procedimentos que costumam ser recomendados para indivíduos que passaram por algum trauma físico, foram submetidos a tratamento de câncer ou passaram qualquer outra situação que gerou comprometimento à suas estruturas físicas.

Os principais casos em que as cirurgias reparadoras são indicadas, portanto, são:

  • Correção de fissura labiopalatal (popularmente conhecida como lábio leporino);
  • Reconstrução mamária de pacientes submetidos à mastectomia (retirada total ou parcial dos seios, geralmente indicada em tratamentos de câncer de mama);
  • Cicatrizes de queimadura;
  • Abdominoplastia (remoção de pele da região do abdome) após cirurgia bariátrica;
  • Remoção de pintas e manchas de pele;
  • Tratamentos de cânceres cutâneos.


Qual especialista realiza este procedimento?

As cirurgias reparadoras, como o nome sugere, são procedimentos cirúrgicos que demandam acompanhamento médico durante os períodos pré e pós-operatórios.
Além disso, a indicação para este tipo de procedimento também deve ser feita por um especialista.

O cirurgião plástico é o profissional que se responsabiliza por avaliar criteriosamente cada caso, solicitar exames necessários e apontar quais resultados podem ser alcançados por meio da realização de uma cirurgia de caráter reparador.

Este especialista também deve levar em consideração o histórico clínico do paciente e suas condições gerais de saúdo, identificando assim a real necessidade das cirurgias reparadoras e a técnica mais adequada para que o indivíduo tenha suas funções recuperadas da melhor maneira.

Principais tipos de Cirurgias Reparadoras

Como foi explicado, existem diferentes tipos e metodologias para a realização das cirurgias reparadoras. A escolha e aplicação deste tipo de intervenção varia de acordo com o problema a ser tratado e as possibilidades de cada caso. 

Em geral, as principais cirurgias reparadoras realizadas atualmente são:

  • Cirurgia de reconstrução de mama para pacientes que precisaram retirar o seio parcial ou totalmente;
  • Cirurgia de câncer de pele, que se destaca como a principal opção de tratamento para este tipo de tumor;
  • Cirurgia de linfedema, para retirada de tecidos inchados;
  • Microcirurgias, para reconstrução de partes muito pequenas — como vasos e nervos que apresentam algum tipo de deformidade ou alteração funcional.


Para entender melhor como funcionam as cirurgias reparadoras e descobrir se elas são a melhor opção para você, o ideal é agendar uma consulta um cirurgião plástico de confiança. Este profissional poderá avaliar seu caso e, criteriosamente, indicar a melhor opção de tratamento para você.




Nenhum comentário:

Postar um comentário