Renda Extra

23/05/2020

Como funciona o Peeling Químico?

Já imaginou ter uma pele ainda mais bonita e jovial? Este é um dos benefícios do peeling químico, um procedimento dermatológico que é cada vez mais utilizado por homens e mulheres no Brasil.

O nome do procedimento vem do verbo em inglês “to peel’, que significa descamar. Isso porque o peeling químico promove uma descamação da pele e estimula a renovação celular.

Ficou interessado no assunto? Saiba mais a seguir!

Como é realizado o Peeling Químico?

O peeling químico combina a ação de vários ácidos para promover a renovação da pele em diferentes profundidades. Os principais tipos do procedimento disponíveis no mercado são:

  • Peeling superficial: para tratar a camada superficial da derme, chamada de epiderme;
  • Peeling médio: com ação na camada média da pele, chamada de derme papilar;
  • Peeling profundo: para tratar a camada mais profunda da pele, também conhecida como derme reticular.


Cada uma dessas técnicas seguirá um protocolo de tratamento diferente. Saiba mais abaixo:

Peeling superficial

  • A pele do paciente deve estar limpa para o procedimento;
  • A solução com os ácidos escolhidos é aplicada na pele e retirada após 10 minutos, no máximo;
  • O tratamento pode ser repetido uma vez por mês para manter os resultados.


Peeling médio

  • A pele também deve estar limpa para o peeling químico médio;
  • A solução é espalhada pelo rosto e deixada por poucos minutos;
  • São utilizadas compressas salinas frias para neutralizar os produtos químicos;
  • O procedimento pode ser repetido a cada 6 ou 12 meses.


Peeling profundo

  • Realização de um pré-tratamento cerca de 8 semanas antes do procedimento;
  • Aplicação de anestesia local;
  • Limpeza do rosto por parte do profissional que realizará o procedimento;
  • Aplicação do ácido para descamação da pele por um período mínimo de 30 minutos e máximo de 2 horas;
  • A neutralização do produto químico é feita com água;
  • Período para descanso da pele de 1 hora;
  • Aplicação de vaselina na pele, devendo ser retirada após dois dias.


Quando o Peeling Químico é indicado?

A indicação do peeling químico é feita com base nas características da pele do paciente, bem como sua idade e estado geral de saúde. Por esse motivo, para saber se o procedimento é recomendado no seu caso é fundamental se consultar com um dermatologista de confiança.

No geral, as situações que indicam a realizam do procedimento são:

  • Acne;
  • Flacidez;
  • Melasma;
  • Cicatrizes;
  • Rugas finas;
  • Pele oleosa;
  • Pele áspera;
  • Poros abertos;
  • Pigmentação irregular;
  • Pele com manchas causadas pelo sol.


Quais são os cuidados Pós-peeling Químico?

As orientações são passadas pelo dermatologista depois do procedimento e é crucial segui-las a risca para obter o melhor resultado possível. Dentre elas, a principal é a exposição solar, que deve ser evitada ao máximo.

Caso não seja possível diminuir a exposição ao sol, o paciente deve aplicar um filtro solar de alta proteção para reduzir os danos à pele, uma vez que ela estará fragilizada pelo procedimento. Os banhos de sol só podem ser retomados com liberação médica.

Apesar de trazer resultados significativos, o peeling químico só pode ser realizado por um profissional especializado, preferencialmente um dermatologista. Isso porque o dermatologista conseguirá avaliar minuciosamente cada caso para indicar o procedimento que, de fato, trará a beleza e jovialidade que o paciente procura.





Nenhum comentário:

Postar um comentário